07 janeiro 2009

Vitamina D pode reduzir risco de câncer em até 50%, diz estudo




Grandes doses diárias de vitamina D podem reduzir o risco de determinados tipos de câncer em até 50 por cento, sugere estudo feito por cientistas da Universidade da Califórnia, em San Diego.


Os pesquisadores analisaram 63 estudos de 1966 a 2004 e descobriram que a forma natural da vitamina, conhecida como D-3, pode reduzir substancialmente a probabilidade de se desenvolver câncer de mama, no ovário e no cólon.


A vitamina D costuma ser obtida com o consumo de alimentos como peixes oleosos, margarina ou pela exposição ao sol.


Organizações não-governamentais ligadas ao combate ao câncer receberam com cautela os resultados da pesquisa, advertindo que vitamina D em excesso - mais de 2.000 UI/50mg por dia - pode levar a uma absorção excessiva de cálcio e prejudicar os rins e o fígado.


A porcentagem de pessoas de origem afro-caribenha com câncer de mama, cólon, próstata ou ovário são mais afetadas do que pessoas de pele clara provavelmente porque pele escura não produz muita vitamina D, dizem os pesquisadores.


As conclusões do estudo foram publicadas na revista científica American Journal of Public Health.


Nenhum comentário: